07/07/15

Inspiração: corte médio

Oi gente, tudo bem? Na última sexta eu fui no salão e fiz uma progressiva e cortei o cabelo. Eu sempre fiz cristalização mas agora estava querendo algo diferente, como já tinha feito progressiva anos antes decidi repetir o processo só que agora num salão que eu confio e já sei todos os contras desse procedimento. Enfim, meu cabelo estava com a raiz muito enrolada e eu não gosto quando ele fica assim. O corte dele eu estou mantendo reto desde o final do ano passado, eu acho um corte moderno e sei que muita gente não gosta, mas eu acho tão estiloso por mais simples que ele seja. O que eu fiz foi tirar 4 dedos, juro pra vocês que fiquei muito tentada a fazer uma franjinha na testa, faz tanto tempo que não tenho franja, mas preferi esperar.

Antes de ir no salão eu pensei bastante se mudava o corte ou não e as inspirações do pinterest me ajudaram bastante nessa decisão, mesmo eu não tendo feito um corte diferente. Então juntei algumas imagens para vocês que querem atualizar o corte. Antes, o resultado do meu cabelo.
Antes do corte:
 Depois do corte:
O que mudou: o comprimento. Permaneci no corte até decidir mudar.
Agora vamos as inspirações: 
 
 
E agora a minha maior inspiração ~cabelística~do momento:
E ai, o que acharam do post? Curtiram? Quem, no momento, está sendo a inspiração de vocês? Comente!

06/07/15

Conto de terror

Olá, meus pequenos.
Aqui está a surpresa tardia. Como se lê no texto é um conto, escrita pela linda blogueira do blog: https://rapariganoseculo21.wordpress.com Aqui está, sem mais demora: Estava uma noite gelada e escura, as estrelas brilhavam palidamente e nem uma gota de luar iluminava os caminhos escuros da aldeia. Os sinos da igreja batiam sinistramente as sete badaladas, as últimas daquele dia de inverno, pois os sinos não tocavam de noite. As ruas estavam vazias, as portas fechadas e os cortinados corridos. A fraca luz dos candeeiros não chegava para iluminar as estreitas ruas empedradas e os becos solitários.
No entanto, uma pessoa estava ainda de pé: uma rapariga envolta numa capa, que apertava junto ao corpo, para se proteger do vento gélido que cortava a noite. Ela subia rapidamente um carreiro pouco utilizado que conduzia para fora da aldeia, dirigindo-se a uma colina a cerca de um quilómetro de distância. No cimo desse monte estava uma mansão antiga, abandonada há séculos, fria e vazia. Já lá ninguém morava desde há tempos imemoriais. Porém, dizia-se que ela permanecia ocupada, não por seres humanos mas sim por criaturas do outro mundo. Resumindo, era uma casa assombrada.
A rapariga, de nome Charlotte, ao chegar ao fim do caminho empurrou o portão de ferro forjado e entrou nos terrenos da mansão. Custava a acreditar que aquilo já fora um belo jardim. Havia lápides de ambos os lados, de pessoas que tinham sido enterradas naquele lugar. As árvores estavam secas e mortas, a relva estava queimada e havia assustadoras estátuas de anjos por todo o cemitério. Os anjos tinham sido esculpidos todos da mesma maneira, com os olhos e as asas fechadas como se dormissem.
Charlotte, cansada da subida ao monte, sentou-se junto a uma lápide, adormecendo. Acordou com uma mão poisada no seu ombro direito. Virou lentamente a cabeça. Um dos anjos estava de asas abertas e olhava penetrantemente para ela com os seus olhos negros, com a sua mão de pedra poisada no seu ombro. Ela ficou absolutamente petrificada com aquela visão e tentou em vão libertar-se. A estátua, até agora parada, moveu-se rapidamente, segurando com a outra mão no pulso esquerdo de Charlotte. A voz dela parecia ter fugido e os seus olhos tinham com certeza secado, não conseguia gritar nem tão pouco chorar.
Ouviu-se um bater de asas. Um anjo tinha aterrado mesmo ao lado daquele que a mantinha aprisionada. Transportava qualquer coisa nas mãos, algo que se mexia de forma algo alarmante. Seria um animalzinho indefeso, tentando fugir? Um raio de luar incidiu nas mãos do segundo anjo. Charlotte sufocou um grito. Era um coração humano, que ainda palpitava, como se o tivessem retirado há pouco tempo do corpo.
- Reconheces este coração? – sussurrou o anjo que a segurava. – Um coração muito doce, cheio de amor… O do teu namorado.
Levantou a mão e apontou-a para uma cabeça decapitada pendurada na porta. Era a cabeça do seu namorado, de olhos ainda abertos, o seu olhar quente e dócil agora frio e vazio. Charlotte chorava agora lágrimas tristes e amargas, sem emitir qualquer som. O anjo que transportava o coração do seu amado sorriu e, com um brilho no olhar, trincou o coração ainda vivo de John. O sangue esguichou e manchou a capa e o rosto de Charlotte. Observava o sangue daquele que amava a escorrer pela boca do terrível anjo. Completamente mortificada, desfaleceu defronte da lápide. Enquanto perdia os sentidos, reparou que as asas dos anjos eram negras.
O anjo que a agarrava largou-a no chão e murmurou, na sua voz gélida:
- O coração dela é meu.


Gostaram? Então like:
https://www.facebook.com/rapariganoseculo21



Beijinhos :3

04/07/15

Imagens do mês

Mês passado foi muito legal pra mim, rolou show do Projota e do Seu Cuca, fui num desfile super bacana e me distraí bastante. O resultado vocês conferem nas fotos abaixo:
E quem quiser me acompanhar -em tempo não tão real assim pois tempo real só no snapchat (pri1516)- é só me dar o follow aqui!
Comente o que acharam das fotos.

02/07/15

Sinister

Olá, príncipes das trevas.
Para quem me acompanha sabe que sou louca por este filme, é o meu favorito. Amo, amo, amo.  Tem a pequena falha de não dizerem quem é o Sr. Papão, mas a história compensa.
Pediram-me para contar o que tanto me prende ao filme. O que não o torna mais um que simplesmente gosto e é mais um. São três factores fundamentais: as crianças, o imprevisível e a história em si.
As crianças porque sou apaixonada por elas (tenho o sonho de ser professora primária) e um psicólogo que admiro disse que o motivo de termos de educar as crianças é que todos nascemos maus. A junção dos dois faz-me lembrar terror.
É tão bom quando o realizador estraga o filme que temos na cabeça formado pelo que vimos até ao momento.
A história fala por si. E cheira a medo.
Recomendo vivamente. Se assusta? Não sei. Eu ri-me do salto de assustada da minha amiga que não deu para ter medo.
Potentissimo!
Vejam!
Beijinhos

Dica de filme: Jessabelle - O Passado Nunca Morre

Sinopse: após sofrer um acidente automobilístico, Jessie é forçada a retornar para a casa do pai, onde tenta lidar com suas pernas imobilizadas. Ela ainda terá de enfrentar a fúria de um espírito, chamado Jessabelle, que pode ter relação com as circunstâncias misteriosas de seu nascimento. (link)
Trailer:
Minha opinião: quando eu assisti o trailer achei que o filme ia ser super clichê e chato mas como amo filme de terror fui assistir. Me surpreendi porque ele tem um suspense bacana e eu achei a história interessante, super recomendo ele!
Quem ai já assistiu? O que acharam? Comente!

30/06/15

Look do dia: xadrez

Olá pessoal, tudo bem? Sábado eu sai pra tirar umas fotos e ir num desfile então resolvi fazer umas fotos para o look do dia. Esse estilo de look é um dos que eu mais gosto de usar e o chapéu já está se tornando figurinha carimbada por aqui e pelas pessoas que conheço. Espero que vocês gostem das fotos.
Usei:
Blusa (modelo masculino): pernambucanas 
Camisa xadrez: emprestada 
Calça: presente
All Star: studio z
Bolsa de Franja: aliexpress
Óculos: aliexpress
Chapéu: aliexpress
Pulseira: não lembro
 O que vocês acharam do look? Comente!

29/06/15

Terror, mas pouco

Olá, queridos.
Lá estou eu com o meu coração apertadinho, amor parvo. Vou tentar não falhar mais.
Mas não é por isso que estou aqui, mas sim para falar de filmes de terror que não são assim tanto como dizem. Um desses exemplos é o "Barco Fantasma". Verdade. Podia ser muito melhor. Desculpem, muuuuuuuito melhor. Tem uma boa história, sem dúvida. Um pouco previsível, mas a história em si não está má. Porém parece a "Guerra das Estrelas" com o gelo falso. Parece que não, mas isso estraga a magia. Houve uma parte que se notava que o capitão que estava na água era um boneco. Pouco realismo não assusta, peço perdão. Porém, explica e isso prende o espectador. Nem tudo são falhas. Não deixou no vácuo quem era aquele rapaz que lhes mostrou o barco, como aconteceu no meu filme favorito (Sinister). De 0 a 5, teria um 3. Gostei, mas falta aquele quê.


O que vocês acham?
Beijinhos

Códigos: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | Design: SD Design ©

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...